Saúde



Arquivado em Crítica, Dicas, Saúde - por

outubro-rosa

Continuando com posts sobre o #Outubro Rosa, o conhecido movimento que começou nos Estados Unidos em 1990 representado por um laço cor de rosa, que tem como objetivo alertar a população sobre a importância da prevenção, que ainda é a melhor maneira para manter a nossa saúde.

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum em todo o mundo e o mais frequente em mulheres. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), só este ano, mais de 57 mil novos casos devem ser diagnosticados no Brasil.

“O acompanhamento médico e a realização da mamografia a partir dos 40 anos são fundamentais para um bom prognóstico. Se diagnosticado precocemente, o câncer de mama tem uma chance de cura de até 95%”, ressalta o oncologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, José Rodrigues Pereira.

Abaixo, o especialista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo esclarece dez dúvidas frequentes sobre a doença:

1) O que causa o câncer de mama?
Há diversos fatores que aumentam o risco de desenvolver um câncer de mama: sexo feminino, idade superior a 40 anos, raça branca, aumento da densidade mamária na mamografia, obesidade na pós-menopausa, primeira menstruação antes dos 13 anos, menopausa tardia, ausência de gestação ou gestação em idade tardia (depois dos 35 anos), terapia de reposição hormonal na pós-menopausa, história pessoal de câncer de mama, número de parentes de primeiro grau com câncer de mama e frequente ingestão de álcool em doses moderadas a altas.

2) Ele é hereditário?
Apesar de portadoras de câncer de mama citarem outros familiares com o problema, apenas 10% dos casos podem apresentar mutações genéticas hereditárias, como o BRCA1 e BRCA2.

3) O uso de anticoncepcionais ao longo da vida pode contribuir com o problema?
A relação entre o uso de anticoncepcionais orais e o aumento no risco de câncer de mama ainda é controverso. Estudos epidemiológicos com milhares de mulheres não demonstraram aumento significativo no risco da doença. Além do mais, os anticoncepcionais atuais possuem dosagem hormonal inferior aos que eram usados antigamente.

4) Homem tem câncer de mama?
O câncer de mama no sexo masculino é raro e representa 1% de todos os casos diagnosticados. A incidência em mulheres chega a ser 100 vezes maior do que em homens.

5) Como o câncer de mama é diagnosticado?
O rastreamento de câncer de mama com mamografia anual é indicado em mulheres a partir de 40 anos, conforme recomendado pela Sociedade Brasileira de Mastologia. Nos casos suspeitos, a confirmação do diagnóstico de câncer de mama é feito por meio da biópsia de lesões identificadas na mamografia, ultrassom, ressonância mamária ou exame clínico.

6) O autoexame é capaz de detectar todos os tumores?
Não, menos de 10% dos tumores de mama são identificados por meio do autoexame. Ele não deve ser considerado como substituto à realização da mamografia porque não foi demonstrada redução da mortalidade por câncer com essa prática. Mas, nem por isso deve ser abandonado, pois o autoexame pode reduzir o número de casos avançados.

7) Todo nódulo na mama pode virar câncer?
Aproximadamente 90% dos nódulos de mama palpáveis em mulheres entre 20 e 50 anos são benignos, como os fibroadenomas, cistos ou necroses do tecido adiposo. Algumas características clínicas, como inchaço da pele, retração cutânea, ulceração e sangramento pelo mamilo podem indicar a presença de câncer de mama.

8) Como é o tratamento?
Existem cinco modalidades de tratamento que devem ser avaliadas conforme as características de cada caso: cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonoterapia e terapias -alvo.

A cirurgia é a base do tratamento curativo. Ela pode ser conservadora, quando preserva a mama, ou radical, quando há a retirada da mama e do mamilo. A radioterapia é um tratamento complementar para reduzir o retorno da doença. A quimioterapia, que também é um tratamento complementar, além de reduzir a recidiva do câncer, também diminui a possibilidade de metástase em outros órgãos. A hormonoterapia bloqueia o estímulo dos hormônios femininos sobre as células tumorais e está indicada para as pacientes com tumores que expressam receptores hormonais. Trastuzumabe é uma terapia-alvo indicada para pacientes com superexpressão da proteína HER2 no tumor.

9) Quais as chances da doença voltar?
Quanto mais precoce for diagnosticado, maior a chance de cura. Tumores em estádios iniciais apresentam chance de cura em 80 a 95% dos casos Nos tumores em estágios avançados, a chance de cura cai para 50 a 70% dos casos.

10) É possível prevenir o câncer de mama?
Algumas medidas podem reduzir o risco, como a amamentação, que pode diminuir o risco em 4,3% para cada 12 meses dessa prática. A ingestão de alimentos ricos em fitoestrogênios, como soja (isoflavona) e as frutas (lignanas) também pode ter efeito protetor. A prática de atividade física regular e controle do sobrepeso na pós-menopausa são ouro exemplo. Além disso, deve-se evitar o uso de terapia de reposição hormonal na menopausa por período prolongado e a ingestão de grandes quantidades de álcool.

Pacientes com lesões precursoras de câncer de mama podem ter o seu risco reduzido quando realizado o tratamento com tamoxifeno e outros inibidores estrogênicos por cinco anos consecutivos. Pacientes com mutações hereditárias BRCA1 e BRCA2, cujo risco para desenvolver um câncer de mama é de 50% ou mais, podem se beneficiar preventivamente da mastectomia profilática. Apenas um médico especialista poderá avaliar cada caso e indicar a melhor forma de prevenção ou tratamento da doença.

* José Rodrigues Pereira faz parte do grupo de oncologia da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo
linha

Você pode estar achando essa leva de posts sobre câncer de mama chatos, mas são super importantes e podem ajudar a muitas pessoas a se informarem melhor sobre essa doença que pode estar mais próxima do que imaginamos…

Compartilhe o post, mostre a amigos e se envolva nessa causa também!!!
Beijos.

Arquivado em Pessoal, Saúde - por

Tem pouco mais de 1 ano e meio que saí do sedentarismo e comecei a me movimentar, confesso que não foi nada fácil, e mesmo depois de todo esse tempo eu ainda não gosto de ir para a academia e malhar. Vivo me perguntando quando que sentirei falta dos exercícios, pois sempre ouvi que o corpo se acostuma e depois de uns 6 meses, se você faltar um dia, o corpo já “reclama”. Bom, isso nunca aconteceu por aqui… infelizmente.

Nesse meio tempo eu consegui emagrecer um pouco, bem pouco, em torno de 7 quilos, mas continuo na luta… a verdade é que muitas coisas aconteceram nesse tempo e eu não fiz uma reeducação alimentar boa. Como tudo o que faz bem, mas também como tudo o que faz mal.

Hoje eu larguei a academia, estou em busca de uma atividade que me dê prazer, pois puxar ferro eu ODEIO… e uma das coisas que tenho feito é tentar correr ao redor do estádio do Maracanã, ok, eu tenho mais caminhado do que corrido, mas um dia eu chego lá!

A vontade de correr surgiu depois que participei de minha 1ª corrida de rua, a Vênus 10k, que aconteceu dia 24 de Agosto. E confesso que estava super ansiosa e cheia de medo, pois nunca consegui correr dois minutos seguidos, quanto mais 5 quilometros, que era o percurso que eu estava inscrita… mas diversas amigas que participam de corridas me tranquilizaram dizendo que pode fazer o percurso caminhando, então lá fui eu!

Corrida-Vênus10K---Agosto-2014-1

Completei a minha 1ª corrida de rua em quase 1h, enquanto que muitas pessoas que conheço fazem a mesma quilometragem na metade do tempo. E o início foi super tranquilo, a largada é aquele bando de gente com a mesma vibe, pessoal super animado, amigos junto, e você começa super empolgada, correndo de verdade e depois de poucos minutos morri!

tempo-venus

Segui caminhando sozinha, no meu tempo, observando as outras participantes, vendo diversas meninas gordinhas que como eu estavam lá para se superarem também. E isso foi muito legal e incentivador. Pena que de todas as amigas que foram correr nenhuma quis me acompanhar, mas tudo bem, cada um tem sua meta a ser batida e vencida.

Eu não levei água, estava muito calor e eu fiquei morrendo de sede. O posto de hidratação estava mais ou menos no quilometro 2 e parecia que ele não chegava nunca… quando chegou peguei logo dois copinhos de água, bebi um aos poucos e fui carregando o outro e jogando um pouco de água nos braços e cabeça. Dá uma aliviada no calor que você não tem noção!

Quando estava quase terminando a prova, que vi a chegada se aproximando me deu um aperto no peito, uma vontade de chorar, uma emoção de estar ali, obesa, mas finalizando uma corrida de 5 quilômetros em menos de 1 hora… Foi uma emoção muito grande cruzar a linha de chegada, mas me contive para não parecer aloka chorando. Hahahaha.

venus10k-chegada
Corrida-Vênus10K---Agosto-2014)

Já tenho uma outra corrida engatilhada que vai acontecer no final desse mês, espero mesmo diminuir meu tempo e poder cruzar mais uma linha de chegada e poder me emocionar novamente! Depois virei contar minha experiência e se conseguirei diminuir meu tempo e bater meu próprio recorde.

Beijos grandes!

Arquivado em Delícia, Eventos, Receita, Saúde - por

No final de Agosto fiz um bate e volta em São Paulo para participar do meu segundo workshop de culinária saudável com a nutricionista ~mega simpática~ Maria Cecília Corsi (para ver sobre o primeiro workshop clique aqui), o evento aconteceu no Livlight Nutrição Gourmet e foi promovido pelo Viva Positivamente, o grupo da Coca-Cola ao qual faço parte.

O espaço funciona como clinica e também tem um bistrô, que é muito lindo, cheio de verde, espaços abertos e uma decor super charmosa! Vale a visita para um almoço.

liv-bistro

O assunto do dia foi como fazer uma culinária saudável, cheia de sabor e com pouco sódio. Afinal o sódio é um dos grandes vilões da nossa saúde, e tem sido consumido cada vez mais e mais. A quantidade recomendada para consumo diário é de 5g por dia (2.000mg), porém o consumo médio do povo brasileiro é de 10g!!!

Quando a comida aparenta estar sem graça temos o péssimo costume de colocar sal para realçar o sabor, porém o sal pode e deve ser substituído por temperos naturais que vão dar sabor ao alimento sem prejudicar a saúde. Foi isso que aprendemos no workshop, inclusive recebemos algumas receitas deliciosas que você vai poder fazer na sua casa!

Mas antes de irmos para as receitas saudáveis, a dica master do encontro foi o sal do himalaia, que possui menos quantidade de sódio, então você pode começar trocando o sal que você usa no dia-a-dia pelo sal do himalaia. Sim, ele é um pouco mais caro, mas sua saúde vai agradecer, e nada paga uma boa saúde, concorda?

Outros ingredientes que vão te ajudar a dar sabor a comida sem prejudicar a saúde são os temperos/especiarias nossos de cada dia, entre eles existem: cebola, alho, canela, cravo, pimentas (tem muitas variedades), noz moscada, salsa, cebolinha, cúrcuma, louro, cominho, gengibre, lemon pepper, semente de mostarda, paprica, pimenta síria, dill, cardamomo, anis estrelado, alecrim (AMO!), manjericão, coentro…

maria-cecilia

Você pode inclusive criar um Garam Masala, que é super comum na Índia, onde cada família cria sua mistura de temperos/especiarias e cria uma identidade culinária. Para fazer você mistura os temperos que mais gosta e guarda para usar na hora de temperar sua comida, ele pode ser usado simples ou em conjunto com outros temperos. O Mrs. Dash é como se fosse um Garam Massala, pois mistura diversos temperos e não possui sal, por isso anda fazendo tanto sucesso, pena que ainda não é vendido aqui no Brasil, mas você pode fazer o seu!

Outra enorme dica que aprendi no dia foi como fazer o azeite aromatizado, que alias é bem fácil de fazer e faz uma diferença enorme na hora de temperar uma saladinha ou um pão. Anota a receita:

AZEITE AROMATIZADO
Esquente o azeite até o ponto que ele fique bem morno, mas que você ainda consiga colocar o dedo dentro. Depois, em uma garrafa coloque ervas e temperos que sejam do seu agrado, por exemplo: alho, alecrim, manjericão, pimenta preta, e por último derrame o azeite ainda morno e guarde. Quanto mais tempo o azeite ficar nessa mistura mais gosto ele irá pegar.
linha

No vídeo abaixo, que ficou lindo, dá para ter um gostinho de como foi o evento. Espia só:

Mas e as comidas???
No dia a Maria Cecília fez na nossa frente diversas receitas, que aos poucos irei postar todas aqui (sempre nas segundas-feiras). As receitas são todas super deliciosas, diferentes e saudáveis!

Começamos com um couvert delicioso de pão integral de linhaça com azeite aromatizado de ervas e sopa creme de cenoura com rúcula e pesto de tomate seco, depois veio a entrada: uma saladinha mix de grãos com ricota abobrinha e molho de aceto reduzido com Coca-cola!

O prato principal começou com um delicioso risoto integral de aspargos com lula e cebola caramelizada. O segundo prato principal (saímos de lá quase rolando, hahaha) foi um filé mignon com crosta de ervas, mousseline de banana da terra e shitake.

comidinhas-livlight

Estava tudo tão gostoso e saboroso que eu nem liguei pro sal… Afinal eu sou uma pessoa que não costumo comer as comidas com muito sal, fui acostumada assim, mas vez ou outra eu coloco um salzinho em algo já no prato. Nesse almoço eu teria colocado na sopa, mas nem tínhamos sal a disposição (que bom!) e comi deliciosamente, saboreando o pão que estava DI-VI-NO!

Até o purê de banana, que eu torci o nariz quando vi, estava uma delícia! E aqui entra outro ponto que nós não estamos acostumados a fazer: provar, experimentar coisas novas, abrir nosso paladar. “Ah, mas eu não gosto de banana!!!”, mas prove, pois nessa receita ela pode estar diferente, com um gosto que vai agradar seu paladar. E foi o que aconteceu!
linha

Aproveitei, para lá no Bistrô mesmo, comprar o sal do himalaia (que ainda vem temperado com algumas ervas) e já estou usando ele aqui nas comidinhas que faço. A mesma quantidade de sal do himalaia corresponde a do sal branco, então não é preciso usar mais quantidade para salgar, e ainda tem o benefício de ter menos sódio.

E assim é a vida, uma relação de aprendizagem e trocas para ficarmos mais saudáveis sem perder a felicidade!
Beijos.