Sustentabilidade



Arquivado em cabelos, Eventos, Sustentabilidade - por

Nessa segunda-feira fui ao Studio de Beleza Sonia Nesi para conhecer e testar o Hair Redemption da Zerran, um tratamento de hidratação e recuperação dos fios que é totalmente vegano e rico em proteínas vegetais, ginkgo biloba, camomila, citrus, lavanda, além das vitaminas E e A.

Todas as linhas da marca Zerran possuem óleos aromáticos naturais, são livres de parabenos, sulfato e perfumes, ou seja, são perfeitas para quem é sensível à fragrâncias químicas, possui alergias e/ou para quem não usa produtos que testam seus efeitos em animais.

  • Fórmulas 100% veganas
  • 100% livre de parabenos
  • Botanicamente baseado com óleos essenciais calmantes
  • Livre de perfume
  • Livre de sulfato
  • Cruelty free, nunca testaram/testam em animais
  • Non-diverted products for salon professionals

O tratamento que eu testei, Hair Redemption, fortalece e super hidrata as fibras capilares danificadas, repara a estrutura do fio de dentro pra fora, deixa os fios mega brilhosos e melhora notavelmente a saúde dos cabelos.

zerran-realLisse

Conversei com a terapeuta capilar Ana Paula Nesi, que me explicou sobre essa linha, falou como era o passo-a-passo do tratamento e disse que ele é ideal para cabelos muito danificados e com necessidade urgente de reparação, devido a estragos com químicas diversas e ressecamento excessivo dos fios.

Começamos sentando na melhor cadeira de lavatório que eu já sentei na vida! Ela deita e ainda faz massagem… uma delícia! Depois fizemos o pass0-a-passo abaixo:

  1. Lavaram meus cabelos com Absolution Shampoo, que remove impurezas sem deixar o cabelo aspero.
  2. Aplicaram o reconstrutor Redemption com 3 gotas de Amazon Oil mecha por mecha.
  3. Ficou agindo nos fios por 30 minutos.
  4. Enxaguaram com água morna e aplicaram a Máscara Capilar enluvando por 5 minutos.
  5. Enxaguaram novamente e finalizaram com Amazon Oil e Bálsamo Capilar (2 gotas de Bálsamo e 1 de Amazon Oil).

Nos caso de cabelo mais volumosos, recomenda finalizar com o Serum e Amazon Oil ao invés do Bálsamo.

A maciez do cabelo é instantânea e incrível! Os fios ficaram super sedosos, macios e cheirosos! Na hora de secar, a dona do salão Sonia Nesi, aparou a minha franja, passou um pouco do produto da London para remover o rodamoinho que eu tenho bem na frente. O funcionário Wesley finalizou secando e fazendo cachos com chapinha.

Eis o resultado:

resultado
resultado1

Esse tratamento foi uma das melhores hidratações que já fiz, e ganha mais pontos por ser vegano! Meus cabelos ficaram macios como nunca, e como eu venho pintando eles estavam mesmo precisando de um cuidado maior.

O cheiro… gente! Que cheiro delicioso! Você sente que não é um perfume comum, e sim algo natural mesmo, e fica dias no cabelo! Até Rafael elogiou o cheiro, no dia e nos dois dias seguintes. Sem contar que mesmo sendo super forte ele não é enjoativo e nem me deu dor de cabeça.

Super aprovei os produtos veganos da Zerran e indico a todos. É claro que devem ter tipos de cabelos que não se adaptam a esses produtos, mas para mim deu super certo e sugiro que se você busca uma boa hidratção, teste essa da Zerran!

Beijos!

♥♥♥ ♥ ♥♥♥
Serviço:
Studio de Beleza Sonia Nesi
Shopping Barra Point – Armando Lombardi Nº 350 – Lj. 209 – Barra
(21) 2491-3405 / (21) 2491-2548

Arquivado em Coisas legais, Dicas, Sustentabilidade - por

Impressionar as visitas é sempre muito legal, e dá para fazer isso acontecer de forma simples e reaproveitando cascas de frutas que iriam para o lixo.

A ideia de hoje é simples, fácil e você mesma conseguirá fazer sem muitos esforços. Aproveite o dia que for fazer um almoço/jantar e faça um suco bem delicioso para servir aos seus convidados, mas reserve as cascas da fruta que você escolher usar, pois elas servirão como taças para servir a sobremesa!

Basta cortar o fundinho da casca para que ela fique parada “em pé” e depois servir a sobremesa dentro da casca da fruta. Fica lindo, veja:

sobremesa1

Nesse caso foi servido sorvete, mas você pode servir o que quiser. Imagina já gelar a gelatina nas cascas, como ficaria lindo, ou então um pavezinho?! Hummm…

Frutas que dão certo para fazer essas taças diferentes~tropicais~lindas:

  • Maracujá
  • Limão
  • Limão siciliano
  • Laranja
  • Melão
  • Melancia (bom para servir salada de frutas)

Amei essa ideia, é criativa, sustentável (pelo menos por um uso e economiza a água da lavagem), diferente e com certeza vai impressionar os convidados! Gostou? Usaria qual fruta para servir aos seus amigos?

Beijos!

Eu acompanho muitos blogs, mais do que eu posso acompanhar e menos do que eu gostaria, e esses dias, depois de adicionar mais um blog a minha lista de blogs, o Vivo Verde, li nele um post que falava sobre o documentário Ilha das Flores.

ilha-das-flores

O que me chamou a atenção foi o título do post, que era “‘Ilha das Flores’, Como assim as pessoas não o conhecem?”, e como eu de fato fazia parte desse grupo de pessoas que não conhecia, e até fiquei achando o artigo errado para acompanhar o sujeito, parei para ler e ver do que se tratava.

Ilha das Flores é um documentário feito por Jorge Furtado em 1989, e de tão bom ganhou um prêmio como Melhor filme de curta-metragem no 17° Festival de Gramado, 1989. Apesar de ter sido feito quando eu tinha apenas 5 aninhos, ele continua atualíssimo…

Esse curta-metragem é um tapa na cara da sociedade, que de 1989 para 2013 se formos parar para pensar nada melhorou… Muitas pessoas tentam fazer a parte delas, mas isso não é suficiente, todos temos que pensar que o mundo não gira em torno de nós, que é importante desapegar, economizar, doar, ajudar ao próximo, evitar o consumo excessivo e principalmente ser solidário.

Difícil fazer tudo isso? Sim! Eu mesma sofro para cumprir esses ideais, mas se peco por um lado tento reforçar no outro. Um exemplo é a coleta seletiva de lixo, que no meu condomínio atual não existe, mas eu separo tudo, deixo aquele tanto de lixo reciclável acumulado no banheiro de empregada para quando puder levar para o condomínio da minha mãe, aonde há anos existe a coleta seletiva.

Outro ponto importante é o desperdício de comida, que sempre evito. É melhor comprar pouca quantidade e se necessário comprar mais do que ter que jogar fora. Quando vejo que tem algo que já está passando do ponto eu invento logo algo para fazer com ele. Semana passada mesmo tinha queijo minas aqui que já não estava fresquinho, cortei tudo em cubinhos, coloquei azeite, orégano e virou um petisco que acabou num piscar de olhos. Agora tenho que dar um pulo no mercado e comprar mais… dessa forma eu não alimento os porcos, ou pior, os humanos que não possuem dinheiro…

Não deixe de assistir a esse documentário, e reflita junto comigo e com mais de 1 milhão de pessoas que já o assistiram.
Beijos!