Arquivado em Crítica, Filmes - por

poster-filme lar das crianças peculiares

Dos filmes recém lançados no cinema um que eu estava doida para assistir é “O lar das crianças peculiares”. Esse filme foi baseado no livro “O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares”, que comprei, li, adorei e já emendei a leitura no segundo livro da trilogia. Eu adorei a história, a narrativa, as personagens… tudo!

Fui ao cinema com a expectativa nas alturas, pois o responsável pela direção foi Tim Burton, o mestre dos filmes sombrios, e quem leu o livro sabe que ele é cheio de toques bizarros, humor, romance e recheado de fotos antigas, sinistras e esquisitas que combinam perfeitamente com o estilo desse diretor.

Trailer de O lar das crianças peculiares:

Sinopse: “Após a estranha morte de seu avô (Terence Stamp), o jovem Jake (Asa Butterfield) parte com seu pai para o País de Gales. Lá ele pretende encontrar a srta. Peregrine (Eva Green), atendendo ao último pedido do avô. Ao chegar, descobre que o local onde ela viveria é uma mansão em ruínas. Ao investigar a área, Jake descobre que lá há uma fenda temporal, onde a srta. Peregrine vive e protege várias crianças peculiares.”

A sinopse é bem fiel a história contada no livro, mas a adaptação para as telonas me decepcionou muito pelas suas diferenças! Eu sei que em 99% dos casos (porcentagem não baseada em estudos) os livros são muito melhores do que os filmes, e é até complicado comparar um com o outro, mas esse caso é tão extremo que eu recomendo a quem leu o livro que não vá ao cinema assistir a adaptação!

O livro se desenvolve de maneira natural, é super envolvente, infinitamente mais abrangente e interessante. Já o roteiro criado para o cinema modifica a história, inventa novas personagens, não cita outras que tiveram sua importância durante o livro, inverte peculiaridades de alguns personagens e modifica completamente o final da história.

Eu sei que o filme não é uma cópia do livro e sim uma adaptação, porém são muitas informações que tiveram que ser resumidas a duas horas de filme, e quando existem mudanças que começam a ser grotescas, com erros cruciais (como que um etéreo entrou na fenda?) e a história é passada de forma super acelerada e sem explicações não tem como aceitar.

Não sei se quem não leu o livro vai entender perfeitamente a história, mas com certeza não vai se envolver como quem leu o livro. É fato que o filme tem fantasia, é imprevisível e cheio de efeitos especiais e ação, mas isso não bastou para mim, afinal eu li o livro e já sabia que deveria ter tudo isso.

Na minha humilde opinião (de não crítica de cinema) eu achei que Tim Burton se perdeu, não entendi como o autor, Ramson Riggs, aceitou esse roteiro, achei o filme muito acelerado com um final paspalhão, mentiroso e lento. Sem contar que ficou muito mais infantil do que o livro (apesar do livro ser infanto-juvenil).

Desculpa uma critica tão irritada, mas é como estou me sentindo após assistir a um filme mediano que me deixou decepcionada e acabou com a expectativa que criei. Se você não leu, vá sem expectativas e curta um filminho sessão da tarde. Depois volte aqui para me contar o que achou, estou querendo saber a opinião de alguém que não teve influências do livro.

Beijos!


Não deixe de ler o post onde mostro a coleção de roupas baseada no filme que a loja norte americana Hot Topic lançou!

 

 

Comentar

                           

* Campo requerido

1 comentário

  1. 1

    Vic Israel

    06.outubro.2016

    Responder

    Oiii, eu não li o livro e ainda não assisti o filme, mas todos os amigos que assistiram não gostaram do filme, mesmo assim eu quero ir ao cinema ver, e tirar minhas próprias conclusões, mas amei tua sinceridade, é isso ai. Beijos e parabéns pelo post.

    Blog Cor E Humor
    Facebook
    Instagram
    Loja